• Triunfo Hoje

Em entrevista ao Triunfo Hoje, Luciano Bonfim faz balanço dos seus oito anos de governo


Observando a chegada do final do ano, juntamente com a despedida desse mandato do atual gestor do Município, Luciano Bonfim, o Triunfo Hoje fez uma retrospectiva das ações e obras a serem destacadas em oito anos de governo. Confira abaixo a entrevista com o atual prefeito:


Triunfo Hoje: Fazendo um balanço destes últimos oito anos de governo, o que o senhor poderia destacar como sendo as maiores dificuldades enfrentadas?


Luciano Bonfim: “De 2009 pra cá o Brasil teve uma queda gravíssima não só na economia, mas na sua própria independência em relação a outros países pela crise política, pela crise financeira e pela crise de ética. Nós passamos os piores momentos por nosso crédito ter sido perdido e o de vários outros gestores a começar pelos presidentes que são os maiores representantes do país com tanta denúncia. Quando o país cai em descrédito, deixa de ter investimento e isso repercute imediatamente em cima dos municípios. Nesses últimos anos os municípios brasileiros perderam de arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios mais de 30%. Fora isso, caindo a arrecadação deixa de chegar ICMS."


"Atrapalha também nas nossas contas e pra piorar vem o aumento do salário mínimo que não recebemos pra repassar, veio o aumento do piso do professor que não recebemos também. Nós temos que manter o plano de cargos e carreiras, e não temos aporte pra isso. A aposentadoria, que não recebemos a mais, temos que pagar. Nossa faixa etária está aumentando, vai se aposentando mais gente (menos contribuintes), nós passamos as mesmas dificuldades que o país está passando. Apesar de que nós continuamos sendo o 3° município no país (município a baixo de 50 mil habitantes) em Previdência. Isso é uma das conquistas das que eu mais comemorei por saber das dificuldades da previdência municipal passa. Mas as dificuldades vão continuar, porque o Brasil não anda bem, os gestores que vierem, quer seja o nosso amigo João Batista ou em qualquer município, se não tiver planejamento, se não tiver organização, se não tiver o cuidado de gastar menos do que arrecada, termina se complicando, mas o daqui vai saber fazer isso que já faz em outras prefeituras e a gente sabe que pra sair da crise tem que enfrentá-la. Mas enfrentá-la com conhecimento, com cuidado, humildade pra chegar onde Triunfo chegou hoje.”


Recentemente foi repercutida a notícia de que triunfo está no ranking de municípios mais bem avaliados em relação às despesas de 2015, cumprindo com o limite de gastos da lei de responsabilidade fiscal – LRF. Com base nesta informação, o que pode ser destacado como método para que esse objetivo fosse alcançado?


Luciano Bonfim: “Nós temos hoje vários meios de controle em cima das prefeituras. Quer seja Ministério Público, Judiciário, Tribunal de Contas do Estado, e a própria população através do Portal da Transparência. Prefeitura não pode fazer mais nada que o povo não possa saber. Tanto da forma passiva ou ativa. E qual o cuidado? É o grande erro de Dilma Rousseff, passou o 54% do limite da folha que é o máximo que se pode usar. Você não pode usar mais que 54% da receita corrente líquida. A nossa hoje não chega a 48%, é uma referência inclusive dos poucos municípios pequenos. Porque você tem que levar em conta também a arrecadação que os municípios têm. Nós temos uma coisa muito importante que é o Turismo. Mas as pousadas, os hotéis, o que passa de ISS pro município é muito pouco; então a nossa arrecadação é praticamente própria. Aqui o consultório médico não paga ISS, o odontológico não paga ISS, As pequenas empresas não pagam ISS, o micro empreendedor Individual (MEI) não pode pagar ISS, que é lei. Então quais são os cuidados? Fazer concurso, contratar menos gente de serviço prestado, enxugar o máximo que você pode de secretaria e diretoria; e continuar mantendo a lei de responsabilidade fiscal porque em janeiro aumenta o salário, aumenta o piso e os encargos sociais. Aí a grande importância de dar prioridade exclusiva a concurso. Foi isso que nos fez manter esses padrões.”


No que diz respeito à saúde do município, houve algum retrocesso neste ano de 2016 em relação aos anos anteriores, tendo em vista os surtos das arboviroses?


Luciano Bonfim: “As arboviroses infelizmente não aconteceram só em Triunfo. O Brasil todo está passando por isso, aqui no Nordeste foram os casos mais graves. Existem vários casos de microcefalia que inclusive hoje ainda tem a interrogação de tantos pesquisadores e ainda não se chegou a um denominador comum. Mas os índices da saúde não são medidos só pelas arboviroses. A nossa taxa de natalidade tem um controle. Nossa vacinação atingiu 100%. Os nossos PSFs cumpriram com suas metas. A Saúde Básica do município através do Mãe Coruja teve atendimento importantíssimo do pré-natal que foi importante demais. Ter cuidado com a gestante do momento da gestação até o 5° ano de vida do nascido, temos feito isso categoricamente, como é uma obrigação nossa, temos cumprido. E essa questão das arboviroses, é a gente na verdade torcer para as mudanças climáticas não atrapalhem, pra que essas vacinas realmente cheguem logo, pra que as pessoas se cuidem, as pessoas têm importância fundamental nessas coisas, não só o poder público.”


Como o senhor poderia avaliar a qualidade da educação no Município de Triunfo, em termos de avaliações de medidores de desenvolvimento nesta área? Sejam eles estaduais ou nacionais.


Luciano Bonfim: “No estado de Pernambuco hoje, no Ensino Médio ele (o município) é o primeiro do país. Isso é importante? É. Mas a nossa preocupação é do 1° ano do Ensino Fundamental até o 9° ano. E pelo segundo ano consecutivo, Triunfo é o 2° lugar no estado de Pernambuco. Nos últimos anos do Ensino Fundamental está entre os dez primeiros também. Isso é fruto de que? 70% dos prefeitos do país não vão pagar 13°, nem folha. Isso é uma vergonha! Porque dinheiro tem chegado demais na educação. Mas nós fizemos diferente, o professor de Triunfo recebe no dia 20 do mês corrente, recebe o piso e nesse mês de dezembro, o terço de férias que é lei pra janeiro. E nós ainda estamos cumprindo o plano de cargos e carreiras do magistério. O plano horizontal, que é por curso, e o plano vertical que é por tempo de serviço. Afora capacitações e qualificações que nós fazemos frequentemente. Por isso nós conseguimos esses índices, até porque professor tem que ser pago, mas também tem que ensinar bem. O professor, pra ser professor, primeiro tem que ter perfil, segundo ser bem pago e terceiro estudar também.”


Sabendo que o turismo é o carro chefe da economia triunfense, e que Triunfo possui um grande potencial turístico em períodos de festa; quais avanços poderiam ser destacados em seu governo no que diz respeito à realização de eventos e promoção da cidade?


Luciano Bonfim: “Quem tem acompanhado a nossa gestão nesses últimos oito anos, sabe que aqui em Triunfo entre o poder público e o privado são mais de 30 equipamentos. Se o número de equipamentos pra atender essas pessoas aumentou, sem sombra de dúvida, o turismo melhorou. Nós temos hoje mais de 1.300 leitos de hotéis aqui em Triunfo. Se aumentou leito é porque a cidade está mais procurada. Nós trouxemos uma Cachoeira dos Pingas no valor de 280 mil reais. Infelizmente não funcionou porque não tem água, mas vai chegar e vai funcionar. Nós trouxemos o Polo Gastronômico que é outro atrativo pra o turista e pra Triunfo. Com recursos da prefeitura e o governo do Estado nós estamos deixando licitado 350 mil pra Casa do Careta, já empenhados, nós estamos deixando licitado e emprenhado também 350 mil para o pico do papagaio, nós investimos fortemente nos grandes eventos, o chamado turismo de evento. Quem não lembra que a oito anos eu venho fazendo um grande Natal com o sertanejo? Trouxe aqui Milionário e José Rico, Mato Grosso e Matias, Léo Magalhães, Pablo, Marília Mendonça, Amado Batista, agora vem Leonardo, e isso é importante não só pra quem trás, mas pra o município, para a economia daquelas pessoas que esperam 365 dias do ano pra ganhar dinheiro só nessa época. Nós criamos o PIPA – Programa de Incentivo a Produção Artística de Triunfo, não fiz esse ano pela da crise que me pegou de julho pra dezembro, e fui obrigado a priorizar a folha, mas já conversei com o novo prefeito João Batista, ele é sensível a essa causa e vai readaptar novamente o PIPA.”


No início de seu último mandato, foi prometido pelo senhor a pavimentação de pelo menos 99% das ruas da cidade. O seu governo também foi marcado pela realização de grandes obras e iniciativas como a reforma do Estádio Municipal e a construção da Rodoviária. Considerando estas obras que ainda não foram finalizadas, podemos ser assegurados da continuação delas em 2017?


Luciano Bonfim: “Sem sombra de dúvidas. Eu fiz, estou falando em coletivo, em equipe; Nesses últimos oito anos, 78 ruas pavimentadas em Triunfo. Foi a maior obra de pavimentação da história de da cidade. No Bairro São Vicente, uma pessoa adoecia, descia de rede. Ali eu pavimentei 87% do bairro, coloquei energia, fiz uma praça e perfurei um poço artesiano. Você lembra do Bairro do Rosário, chamado Cansanção, como era? Está todo iluminado, 73% pavimentado, estou deixando licitado 280 mil reais pra mais duas ruas e deixando em caixa 800 mil reais. Dinheiro da repatriação do dia 30, que veio exatamente pra pagar a folha e décimo terceiro de previdência, só que eu já havia pago tudo. Me planejei e paguei. Deixei esse dinheiro com João Batista já conversei com ele da importância de cumprir a minha promessa que é terminar o Rosário e terminar Canaã. Estou fazendo uma creche, esse dinheiro do FNDE é um dinheiro que não falha. A mediação vai, o dinheiro vem. A obra já vai em 63% não tem como parar, a primeira prerrogativa já foi paga e isso vai ser importantíssimo pra 180 crianças, essas crianças de baixa renda no Alto da Boa Vista."


"O Mercado Público hoje não é só um ponto de comércio, mas de lazer. Deu outra cara ao centro de Triunfo. Fiz aquele Centro de Atividades Econômicas lá na Encruzilhada, que hoje faço parceria com o Projeto Sabiá. Está lá funcionando todos os dias. Começamos a Rodoviária, que Triunfo sonhava tanto de R$ 1,5 milhões já foi gasto R$ 600 mil e vai terminar sem sombra de dúvida. O antigo abatedouro, hoje é o Centro de Educação Eduardo Campos que é referência na região, que nos fez chegar a 2° lugar no estado, e tantas obras importantes."


"Estou agora na terceira etapa do Estádio Municipal, fiz a primeira e consegui a segunda pelo FEM que o governo do estado não pagou, estou pagando com recursos próprios e consegui mais de R$ 490 mil com Silvio Costa. O dinheiro não chegou, estou mantendo com recursos próprios lá no Bairro da Encruzilhada também. A Unidade Mista (Hospital) já vai com quase 900 mil de obra e de equipamentos. Enfim, foi um ano de grandes obras pra Triunfo. Estamos com 13 obras em andamento e 9 milhões circulando em Triunfo de obras no momento.”


O que o prefeito Luciano Bonfim pode definir e deixar como um legado seu e de sua equipe de gestão?


Luciano Bonfim: “Acho que fazer gestão hoje é ouvir as pessoas. Qualquer gestor, quando ganha a eleição, acha que a lua de mel vai ser até os quatro anos depois, mas não é bem assim. Quando a gente senta naquela cadeira por trás daquele birô, a história muda. Aí tem que esquecer que é poder e que é gestor. Não pode confundir as coisas. O que eu sei é que me sinto realizado porque o que eu prometi eu cumpri."


"Estou deixando um município totalmente equilibrado não a nível de Pernambuco mas a nível de Brasil. Foi uma gestão que eu escutei muito as comunidades, andei muito. Sou um grande conhecedor da Zona Rural de Triunfo é tanto que estamos nessa parceria com as comunidades, colocando esses asfaltos tanto ao Pico da Papagaio, como pra o Brejinho, os Engenhos. E o que eu penso pra futuro, já falando quase como ex-prefeito, é que o município equilibrado deixa mais responsabilidade pra quem vai assumir. E deixando mais responsabilidade aí é que ele tem que ouvir mais do que eu ouvi, planejar mais do que eu planejei. Porque é até leviano dizer que Batista não vai ter problema, que tá tudo resolvido, não tá tudo resolvido. Eu resolvi os oito anos em que fui prefeito. Ele a partir do dia 2 de janeiro, mesmo pegando um município equilibrado, vai ter muitos problemas pela frente porque tudo muda, mas ele como grande gestor de várias prefeituras em que trabalha, grande advogado, com uma equipe de contabilidade muito boa, tem tudo para deixar nosso município no caminho do desenvolvimento. Nós temos lutado pela Adutora do Pajeú, Nossa presidenta Dilma fez um ato mentiroso ali em Serra Talhada quando deu aquela ordem de serviço no dia 14 de abril de 2014. Ordem de serviço é pra começar a obra, não começou até hoje. Fui a Brasília com Batista, me prometeram novamente. Espero que saia. Nós temos o plano municipal de saneamento básico de Triunfo pronto no valor de 24 milhões de reais o que falta agora é articulação política, sorte e que o Brasil tenha dinheiro.”


“Agora nós fomos contemplados novamente com o Selo Ouro do Estado de Pernambuco. O Selo Ouro é um dos selos mais importantes que o município pode receber nesse momento violento, em que a violência tomou conta do estado. O Pacto Pela Vida não existe mais e nós conseguimos. Esses fatos isolados que aconteceram aqui, não faz parte da violência de Triunfo, que é um dos municípios mais pacatos do estado ou do país e continua sendo. Nós temos guarda municipal, nós temos câmera, nós temos educação nas escolas sobre segurança, nós temos uma ação social que trabalha o social todos os dias com as crianças de alto risco, de baixa renda e nisso nós fizemos questão de investir. E eu fico satisfeito porque nossos índices são importantes em meio à crise.”


Para finalizarmos nossa entrevista, o senhor queria deixar alguma mensagem de Natal e Ano Novo, ou agradecer aos triunfenses e todos os visitantes que por aqui passam todos os dias?


Luciano Bonfim: “Desejo um Feliz Natal, que a chuva chegue logo, pois estamos em um período difícil, na maior crise hídrica de nossa história. Cinco anos de seca, eu peguei. Foi muito sofrimento, nós estamos tirando dinheiro de várias áreas pra investir em água, pedimos a Deus que nossa chuva chegue agora no mês de dezembro."


"Pelas pessoas de Triunfo que contribuíram comigo através das urnas eu tenho que retribuir agora só através da medicina. Não tenho interesse nem tão cedo de voltar à política, Triunfo já me deu demais. Desejar que todos tenham muita sorte, conquistas e consigam o que sonharam. Reconheço o carinho que Triunfo teve por mim durante todo esse tempo e dizer que mesmo diante de uma crise dessas, estamos fazendo a maior festa do interior de Pernambuco, sem ajuda de ninguém. Esse ano não apareceu SESC, não pareceu ACMT, não apareceu Governo do Estado de PE. Eu me planejei desde o dia 10 de janeiro. Não é à toa que está pago hoje o show de Leonardo e que as outras bandas de porte menor, mas com grande repercussão estão também todas pagas. Convido o povo de Triunfo para participar dessa grande festa, receber suas famílias e comemorar tudo que a gente fez durante este ano, nem que seja por um minuto.”

#Entrevista #LucianoBonfim

© 2020 TRIUNFO HOJE