• Triunfo Hoje

Campanha contra o machismo e o feminicídio é lançada no Recife

Campanha contra feminicídio foi lançada nesta quarta-feira (19), no Recife (Foto: Denilson Cadête/Divulgação)

O caso da fisioterapeuta Mirella Sena, 28 anos, assassinada por um vizinho no flat onde morava, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no início de abril, virou um símbolo da luta contra os crimes de gênero em Pernambuco. O homicídio também provocou a mobilização de entidades e o lançamento, nesta quarta-feira (19), de uma campanha de mídia para alertar a sociedade para a necessidade de enfrentar o machismo e o feminicídio, de denunciar os casos de violência.

Um dos materiais de divulgação da campanha é um vídeo com depoimentos de professoras universitárias, uma vereadora do Recife, uma atriz e a uma representante do movimento negro. Nas falas, todas ressaltam a importância de a vítima de machismo denunciar o agressor.

“Não é crime passional, nem é por ciúme. Não é por inconformismo com o fim do relacionamento. É machismo é feminicído”, aponta a professora de direito Liana Cisne, da UFPE. A vereadora Marília Arraes (PT) reassalta a importância de a vítima não se calar. “Meta a colher”, afirma.

A representante do movimento negro Vera Barone lembra que um dos problemas é a cultura machista da sociedade. A atriz Dandara de Moraes destaca que nem toda a violência é física. “Se você já sem sentiu forçada a fazer alguma coisa por chantagem de marido, amigo, chefe, namorado ou amigo, é agressão. Não se cale”, pede.

A representante do Grupo Frida, da Unicap, Carolina Ferraz, salienta que falar de machismo é abordar a violência e o estupro e também sobre a potencialidade de reação. “Uma protegendo a outra. Solidariedade é tudo”, dispara.

A iniciativa prevê a divulgação de material em TV, internet, rádio e nas mídias sociais. O lançamento ocorreu na Faculdade de Direito do Recife, no Centro da cidade. A ação conta com apoio do movimento feminista, Universidade Católia de Pernambuco (Unicap), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Associação dos Delegados de Pernambuco (Adeppe).


O empresário Cleonildo Cruz, sócio-diretor da Tempus Comunicação, justificou o lançamento da campanha ao falar sobre a necessidade de enfrentar os números de violência contra a mulher registrados no estado. “É necessário que nós homens possamos compreender que uma sociedade machista é indigna de viver para todos, e não apenas para elas”, declarou.

Estatísticas De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), 58 mulheres foram assassinadas nos primeiros dois meses e outras 2.743 agredidas apenas no mês de janeiro. No primeiro mês de 2017, a média de denúncias de violência contra a mulher registradas chegou a 88 por dia. Durante o ano de 2016, foram contabilizados 50.042 casos de agressão às mulheres no estado, 1.205 casos a mais que o registrado em 2015.


Em relação aos estupros, foram ao menos 148 casos de violência sexual apenas nos primeiros 30 dias do ano. O Recife lidera as ocorrências, com 31 casos, atingindo quase o dobro do segundo lugar, Olinda, que registrou 16 casos. Em 2016, foram 1.825 no estado. Também durante o ano passado, foram 50.042 casos, o que significa que, a cada 12 minutos, em média, uma mulher sofre algum tipo de violência nos 184 municípios de Pernambuco.


#estatísticas #feminicídio #campanha

© 2020 TRIUNFO HOJE