• Ramylle Barbosa

13 de Setembro: Cachaça Triumpho comemora o Dia Nacional da Cachaça


Revolta da Cachaça é relembrada no dia 13 de setembro.


Já nos tempos coloniais, a produção de cachaça era uma importante atividade econômica no Brasil, levando a redução do consumo da bagaceira importada de Portugal. Preocupados com o sucesso da aguardente, os portugueses, através de uma Carta Real de 13 de setembro de 1649, proibiram a fabricação e a venda da cachaça em todo o território brasileiro.

Os proprietários de cana-de-açúcar e alambiques, indignados com as constantes cobranças de impostos ao longo dos anos e perseguidos por vender a bebida, se revoltam no dia 13 de setembro de 1661 e tomam o poder no Rio de Janeiro por cinco meses resultando em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional, a Revolta da Cachaça.

Com o poder restituído, o movimento é repreendido com violência e o seu líder, Jerônimo Barbalho Bezerra, é enforcado e decapitado, tendo sua cabeça pendurada no pelourinho da cidade, como exemplo à população fluminense.

Hoje, todo o dia 13 de setembro se comemora o “Dia Nacional da Cachaça” como uma forma de relembrarmos os tempos de um Brasil colonial, quando a cachaça era símbolo de resistência contra a dominação portuguesa.

A data foi aprovada em outubro de 2010 pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados como resultado do projeto de lei do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC).

Em Triunfo - PE, a Cachaça Triumpho é fabricada artesanalmente e foi a 1° Cachaça do Brasil a receber a Certificação de Conformidade do INMETRO. É destilada em alambique e envelhecida em barris de carvalho, possuindo características singulares de aroma e sabor propiciadas pelo cultivo de cana e ritual de produção em região de terras altas, acima de de 1.000 metros de altitude.


Fonte: Mapa da Cachaça.


#CachaçaTriumphoArtesanal #CachaçaTriumpho

© 2020 TRIUNFO HOJE