Depois de movimento popular, vereadores recuam, e prefeito veta projeto de aumento salarial em Serra Talhada

22.09.2016

Com objetivo de chamar atenção, tanto do cidadão comum, quanto dos políticos que fazem Serra Talhada, sobre o aumento dos salários dos vereadores de R$ 8 para R$ 10 mil reais, o Movimento “Acorda Serra Talhada” participou, na última segunda feira, dia (19), da Sessão na Câmara, para discutir o Projeto de Lei Complementar 33/2016.

 

De acordo com Cornélio Pedro, um dos organizadores, o movimento Acorda Serra Talhada surgiu da necessidade de que a sociedade se manifestasse, diante do aumento em meio a uma crise sofrida por todos os brasileiros. “O movimento é da sociedade organizada que estava clamando para que essa situação fosse reparada”.

 

Durante a sessão, os vereadores recuaram e reconheceram que esse não é um bom momento para um reajuste salarial. O que, para a advogada Eliane Oliveira representa uma conquista da sociedade. “Uma vitória popular, é o povo acordar e entender que o povo tem voz, que o povo tem vez, e que precisa apenas a gente lutar pelos nossos direitos, reconhecer quais são os nossos direitos e estar aptos, dentro da legalidade, para exigir aquilo que a lei nos dá por legalidade”.

 

Porém, apesar de terem conseguido conscientizar os vereadores sobre os prejuízos desse aumento, a decisão final ficou a cargo do prefeito Luciano Duque, que nesta terça-feira, decidiu por vetar o projeto que trata do aumento.

 

Fonte: Portal Nayn Neto

Please reload

1/6

1/9

© 2020 TRIUNFO HOJE