Cidades do Agreste devem criar plano de combate para prevenir arboviroses

05.03.2017

Foi publicada no Diário Oficial uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que as cidades de Alagoinha, Pesqueira e Capoeiras, no Agreste de Pernambuco, elaborem e acompanhem a execução do Plano Municipal de Enfrentamento das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. 


De acordo com os promotores Jeanne Bezerra, Andréa Porto e Reus Alexandre Amaral, as medidas recomendadas aos prefeitos e aos secretários de Saúde incluem abster-se de reduzir a oferta de serviços de saúde de qualquer natureza, em especial das ações de controle ao vetor e manejo clínico da dengue, zika e chikungunya, aportando os recursos necessários à execução dessas ações.


Ainda de acordo com o MPPE, os gestores também deverão fiscalizar e garantir o efetivo cumprimento, pelos médicos, do protocolo clínico para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, fazendo a diferenciação e a notificação necessária, evitando fazer constar a informação genérica virose.


O Plano Municipal de Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes aegypti deverá ser executado integralmente pelas gestões municipais, com a adoção de todas as medidas previstas para a redução dos agravos, cumprindo-se as orientações constantes no Plano de Contingência Nacional para Epidemias da Dengue vigente, elaborado pelo Ministério da Saúde.


Os gestores deverão analisar a situação epidemiológica do município quanto à ocorrência das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e intensificar o fluxo de notificação das unidades de saúde das redes pública e privada, ressaltando que, para os casos suspeitos de chikungunya e óbitos suspeitos de dengue, a notificação deve ser imediata.

Please reload

1/11

© 2016 TRIUNFO HOJE