MPPE instaura inquérito para investigar insuficiência do número de policiais militares no estado

23.03.2017

 

O Ministério Público de Pernambuco instaurou, nesta quarta-feira (22), um inquérito civil para investigar a “possível omissão e/ou insuficiência” do governo do estado para suprir o déficit de pessoal na Polícia Militar de Pernambuco. Para iniciar a investigação, o órgão levou em consideração o crescimento de vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) nos dois primeiros meses do ano de 2017, já que houve um aumento de 47,3% no número de assassinatos no estado em relação ao mesmo período de 2016.


De acordo com a Promotoria de Justiças de Defesa da Cidadania da Capital, responsável pelo inquérito, o “inegável impacto negativo na segurança pública decorrente, entre outros fatores, do decréscimo de efetivo policial militar lançado nas ruas para a atividade do policiamento ostensivo”.


Diante das considerações, o MPPE irá notificar representantes das secretarias de Defesa Social (SDS), Administração (SAD) e de Planejamento e Gestão (Seplag), além do Comando Geral da Polícia Militar de Pernambuco e os conselhos estaduais de Defesa Social e Direitos Humanos.


Resposta
Por meio de nota, a SDS destacou que a Polícia Militar vem sendo reforçada desde o início de 2015, quando foram convocados 1.100 aprovados no concurso que estava em vigor. "Em 2016, foram abertos novos concursos para a PM, a Polícia Civil e a Polícia Científica. No segundo semestre deste ano, os 1.500 aprovados no concurso de 2016, atualmente em curso de formação, reforçarão o policiamento ostensivo nas ruas da Região Metropolitana do Recife e Interior. A Polícia Civil também está tendo reforço de efetivo este ano, com o chamamento de 100 delegados e 500 agentes aprovados no certame de 2016", ressalta a secretaria.


Ainda no texto, a SDS cita o remanejamento do efetivo das atividades administrativas para o policiamento nas ruas e afirma que, neste ano, mais de 200 servidores foram deslocados para a função policial, atuando nos batalhões e nas unidades especializadas da Polícia Militar. Segundo a secretaria, a Polícia Civil também convoca servidores aposentados para atuar em trabalhos administrativos com o objetivo de liberar quem está na ativa para as investigações e diligências.

Please reload

1/11

© 2016 TRIUNFO HOJE