Número de assaltos a ônibus em PE em 2017 varia 170% entre dados do governo e de sindicato de motoristas

17.01.2018

O Governo de Pernambuco aponta a notificação de 1.406 assaltos a ônibus no estado, em 2017. O Sindicato dos Rodoviários, que representa motoristas, cobradores e fiscais, registra 3.797 ocorrências do mesmo tipo, no mesmo período. Isso significa uma diferença de 170% entre as estatísticas. A administração estadual e a entidade sindical afirmam que o cálculo leva em consideração o número de coletivos assaltados, sem incluir a quantidade de vítimas prejudicadas.

 

Na comparação das estatísticas, a disparidade ocorre em todos os meses de 2017. A diferença mais acentuada foi verificada em setembro, quando o governo registrou 75 assaltos a ônibus e o sindicato contabilizou 332 ocorrências do mesmo tipo, totalizando uma diferença de 342%.

 

De acordo com o governo de Pernambuco, os dados são consolidados pela Gerência de Análise e Estatística Criminal, órgão vinculado à Secretaria de Defesa Social (SDS). Os cálculos partem do cruzamento de informações policiais e ocorrências registradas pelas empresas de ônibus e incluem BRTs e demais casos, mesmo quando não há subtração da renda dos veículos.

 

O Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, por sua vez, também afirma contabilizar todos os assaltos a ônibus, independentemente do roubo da renda dos coletivos. Segundo a entidade, a divulgação dos números é uma forma de “denunciar a insegurança que a categoria enfrenta diariamente no exercício das suas funções”.

 

A SDS, no entanto, afirma desconhecer a metodologia utilizada pelo Sindicato dos Rodoviários. Ainda de acordo com o governo, os dados oficiais são utilizados pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), para planejar ações de segurança adotadas pelas empresas de ônibus.

 

 

Disparidade em janeiro

 

No início de 2017, os números das duas entidades já mostravam divergências. A SDS informou, na época, contabilizar apenas os casos em que há boletim de ocorrência registrado em delegacias. Já o sindicato afirma que os dados são provenientes de informações das empresas de transporte coletivo e dos funcionários prejudicados pelos assaltantes.

A divergência entre os dados oficiais e dos motoristas e cobradores também foi verificada em 2016. Para a SDS, ocorreram 1.223 crimes contra ônibus, entre janeiro e dezembro de tal ano, o que significa uma média de 101 casos por mês. Para o sindicato, foram 1.916 crimes, entre janeiro e dezembro de 2016, o que corresponde a 159 ações criminosas a cada 30 dias, em média.

 

 

 

Por G1

 

 

Please reload

1/11

© 2016 TRIUNFO HOJE