Reforma do Ensino Médio permite até 40% da educação à distância

20.03.2018

Aprovada em 2017, a proposta de reforma no Ensino Médio abriu brechas para que aulas online tivessem cada vez mais liberdade para serem escolhidas. A liberação, no entanto, pode chegar até a 40% da carga horário total do ensino. Caso aprovada, os alunos poderão ter de duas a três aulas por semana fora da escola. As informações foram divulgadas pelo jornal Folha de São Paulo na manhã desta terça-feira (20). 

 

Embora ainda não tenham sido implementadas, as novas regras - propostas no Conselho Nacional de Educação (CNE) - já geram polêmica. Os críticos afirmam que a proposta só irá trazer mais prejuízos para a educação na rede pública brasileira, que concentram cerca de 88% das matrículas da etapa. Este aval de carga cumprida à distância também é criticada por abrir margem para a falta de professores e acompanhamento escolar.

 

No Brasil, quando trata-se de matrículas e continuidade de ensino, o país apresenta um déficit de 1,5 milhão de jovens de 15 a 17 anos que já abandonaram os estudos. Ao todo não 6,9 milhões de matrículas no ensino médio público. 

 

Ainda de acordo com a lei de reforma, 60% da carga horário precisa contemplar conteúdos comuns, adequados a Base Nacional Comum Curricular, já os 40% podem ser escolhidos pelos alunos. Ao todo, são cinco opções: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.

 

 

 

Fonte: Diário de Pernambuco

 

Please reload

1/11

© 2016 TRIUNFO HOJE