Semas entrega fogões ecológicos e banheiros do Projeto de combate à desertificação

30.11.2019

 

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), entrega, nesta sexta-feira (29), trinta banheiros e fogões agroecológicos nas comunidades de Gangorra e Chico Pereira, em Carnaíba, no Sertão do Pajeú. A iniciativa faz parte das ações de combate à desertificação no Semiárido do Estado, através do Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade. O ato contará com a participação do secretário da pasta, José Bertotti.

 

Com recursos na ordem de R$ 770 mil, o projeto inclui a construção de fogões ecológicos, banheiros com fossas sépticas, unidades produtivas, barragens sucessivas e cordões de pedra, recuperação de nascente, perfuração de poço artesiano, além de promover capacitações para agricultores. Ao todo, são beneficiadas 30 famílias que moram na área rural de Carnaíba e próximas a áreas indicadas tidas como prioritárias para realização de estudos para criação de Unidades de Conservação do bioma Caatinga.

 

A nessa etapa do projeto consistiu na implantação de melhorais habitacionais, sendo erguidos 30 fogões agroecológicos, que promovem a eficiência da combustão e reduzem o uso de lenha, e também 30 banheiros com fossas sépticas. Esses equipamentos serão entregues agora e visam refletir diretamente na qualidade de vida das pessoas e em menor impacto para o meio ambiente.

 

“Pernambuco possui a maior parte do seu território em uma região suscetível ao processo de desertificação. Por isso, realizar ações de segurança hídrica, energética, alimentar, saneamento básico e formação de recursos humanos são prioritários para adequação ao Plano Estadual de Enfrentamento às Mudanças Climáticas. Esse é um projeto inovador que contribui para uma parcela da população carente de serviços, criando alternativas capazes de gerar ganhos sociais, econômicos e melhorar a convivência dessas famílias com o semiárido”, pontuou José Bertotti.

 

O próximo passo será criação de 29 barragens sucessivas vinculadas a sistemas simplificados de abastecimento. Haverá ainda a instalação de unidades produtivas na área de avicultura, perfuração de um poço artesiano e a recuperação de uma nascente na comunidade de Gangorra. O Projeto de Módulos de Manejo Sustentável é desenvolvido em parceria com o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas/Ministério do Meio Ambiente. Os recursos investidos são fruto de rendimentos financeiros originários da primeira etapa da iniciativa.

 

Iniciado em 2011, o projeto de Módulos de Manejo Sustentável - que integra as políticas estaduais de enfrentamento às mudanças climáticas - vem mudando a realidade de 400 famílias do semiárido pernambucano. Para tanto, foram construídos 12 poços artesianos, 298 banheiros com fossa e 338 fogões ecológicos. Também se criou unidades produtivas e se promoveu 36 capacitações para agricultores, professores e gestores públicos de 12 municípios envolvidos. 

 

 

Fogões agroecológicos foram construídos por uma mulher

 

A segunda etapa do Projeto de Manejo Sustentável, realizado pela Semas, foi marcada pela força da mulher sertaneja. Luzia Porfírio Simões Ribeiro, 48 anos, caçula de 31 irmãos, nasceu no município de Solidão, Sertão do Pajeú, onde vive até hoje. Separada, toma conta sozinha dos sete filhos: o mais velho com 26 anos e a mais nova com 14 anos. Desde 2015, quando participou de um curso, adotou como profissão ser pedreira e não largou mais. Ela foi a responsável por executar todos os 30 fogões agroecológicos.

 

Luzia já havia se dedicado a roça e feito curso de professora, mas foi com pedras, cimentos e tijolos que se identificou. O curso de pedreiro foi oferecido na Casa da Mulher do Nordeste, uma organização não governamental que trabalha com a igualdade de gênero e realiza capacitações com o propósito de fortalecer a autonomia econômica das mulheres. Ela acredita que já construiu cerca de 200 fogões, 60 cisternas e ajudou a levantar muitas casas.

 

“Me sinto realizada e feliz, porque a gente ensina as mulheres a não desmatar, e manter a Caatinga. Preservar a mata é bom para os serres humanos e bom para a Terra”, dispara Luzia, em defesa de um uso mais sustentável das áreas de reserva do bioma. Preconceito, ela encontra em quase todos os lugares, mas diz que muda mostrando o que faz de melhor: o seu trabalho como pedreira. Em março de 2020, Luzia vai passar um mês na África, mostrando sua técnica na construção de casas, fogões, sistemas de água e cisternas de maneira sustentável.

 

Serviço

 

O que: Entrega dos fogões agroecológicos e banheiros do Projeto de combate à desertificação no Sertão

Quando: sexta-feira (29/11), às 10 horas

Onde: Comunidade de Gangorra e Chico Pereira, em Carnaíba

Please reload

1/11

© 2016 TRIUNFO HOJE